terça-feira, 31 de agosto de 2010

Trilhas Sonoras: PARAÍSO TROPICAL

PARAÍSO TROPICAL

"Paraíso Tropical" é uma novela que estreou enfrentando muitas dificuldades, e enfrentou muitas barreiras para chegar ao sucesso que se vê hoje. A trama começou excelente, recebendo as melhores críticas, porém, faltou o principal - pelo menos para a emissora -: a audiência. A novela estreou com o menor ibope dos últimos anos, e este só fez cair, até chegar a míseros 34 pontos de média, pouco mais da metade que uma novela das oito consegue habitualmente. Para que o público se ligasse na novela, foram necessárias algumas mexidas, mas nada que tenha interferido na história da trama. O que se fez foi acelerar os acontecimentos e eletrizar a ação das cenas. Pronto, a audiência se estabilizou e a novela foi considerada sucesso.

As trilhas sonoras não deixam a desejar, apesar de estarem muito aquém das expectativas. Na nacional, temos uma das piores capas dos últimos anos, com o casal de mocinhos, Paula (Alessandra Negrini) e Daniel (Fábio Assunção), em uma foto que mais mexicana impossível. Aliás, a Som Livre tem que parar com essa história de foto de divulgação para capas de cds. Faz tempo que não vejo uma trilha com um ensaio feito especialmente para o disco. Mas enfim, voltamos ao cd de "Paraíso Tropical", que vem recheado de grandes nomes da música brasileira. A "queridinha" da Som Livre, que anda tendo que dividir o posto com Marisa Monte e Vanessa da Mata, retorna as trilhas mostrando que não quer perder terreno. Ana Carolina aparece com três músicas do cd: "Carvão", interpretada por ela mesma, e que serviu de tema para o casal da "retomada da audiência", Lucas (Rodrigo Veronese) e Ana Luísa (Renée de Vielmond); "Ruas de Outono", composição sua, na voz de Gal Costa, e que serve de tema para Lúcia (Glória Pires), e por fim, "Cabide", que ganhou as rádios na interpretação de Mart'nália, servindo de tema para o malandro e aprendiz de vilão, Ivan (Bruno Gagliasso). Quem também está com a bola toda na Som Livre é Elis Regina. Todas as trilhas recentes de novela possuem uma canção sua ("O Profeta", "Pé na Jaca" e "Eterna Magia"). Em "Paraíso Tropical", ela aparece com "É Com Esse Que Eu Vou".

Erasmo Carlos e Chico Buarque fazem um excelente parceria em "Olha", tema do casal de protagonistas, Paula (Alessandra Negrini) e Daniel (Fábio Assunção). Outro incrível dueto da trilha acontece em "Preciso Dizer que Te Amo", trazendo os intérpretes Cazuza e Bebel Gilberto. Adorei a versão voz-violão da canção, mas alguns não gostaram e defenderm que a versão em estúdio. As regravações também têm lugar cativo no cd, como o remanescente dos anos 80, Toni Platão, interpretando a brega "Impossível Acreditar que Perdi Você", que já esteve presente na trilha da novela "A Indomada". Milton Nascimento também aposta nas regravações, e traz a clássica bossa-nova "Samba do Avião" para servir como tema da Copacabana da novela.

Bebel, a personagem brilhantemente interpretada por Camila Pitanga, é a mais popular da novela, e fez por merecer as duas músicas que lhe servem de tema: "Não Enche" e "Difícil". A primeira é interpretada por Caetano Veloso, e foi resgata para a trilha pelo próprio Gilberto Braga, que já teve a canção presente na trilha sonora de sua minissérie, "Labirinto". Já a segunda canção, resgata a participação de Marina Lima em trilhas, e tem uma pegada mais sensual, coisa que Bebel tem de sobra. Merece destaque ainda, "Espatódea", a delicada canção que Nando Reis fez para sua filha, e que entrou na trilha, como tema de Fred (Paulo Vilhena) e Camila (Patrícia Werneck); e por fim, "Sábado em Copacabana" a polêmica canção que movimentou as primeiras discussões sobre a novela. Muitos não gostaram da canção na abertura da novela, diziam ser muito lenta. Cogitou-se até mesmo trocar a abertura de "Paraíso Tropical". Porém, o tema se manteve, assim como a abertura, e hoje, a canção já é uma das marcas da novela.

Paraíso Tropical Nacional

CLIQUE AQUI para baixar a parte 1!
CLIQUE AQUI para baixar a parte 2!

Capa: Paula (Alessandra Negrini) e Daniel (Fábio Assunção)

01. Carvão - Ana Carolina (tema de Lucas e Ana Luísa)
02. Impossível Acreditar que Perdi Você - Toni Platão (tema de Joana)
03. Ruas de Outono - Gal Costa (tema de Lúcia)
04. Samba do Avião - Milton Nascimento (tema de locação - Copacabana)
05. Você Não Sabe Amar - Nana Caymmi (tema de Cássio)
06. Você Vai Ver - Miúcha (tema de Gustavo e Dinorah)
07. Sábado em Copacabana - Maria Bethânia (tema de abertura)
08. Olha - Erasmo Carlos & Caetano Veloso (tema de Paula e Daniel)
09. Cabide - Mart'nália (tema de Ivan)
10. Não Enche - Caetano Veloso (tema de Bebel)
11. Difícil - Marina Lima (tema de Bebel)
12. Espatódea - Nando Reis (tema de Fred e Camila)
13. Existe um Céu - Simone Guimarães (tema de Fabiana)
14. Preciso Dizer que Te Amo - Cazuza (tema de Mateus e Camila)
15. É Com Esse que Eu Vou - Elis Regina (tema de locação - Copamar)
16. Vatapá - Danilo Caymmi (tema de locação - Marapuã)
17. Alcazar - Roger Henri

PARAÍSO TROPICAL INTERNACIONAL

A trilha internacional, foi lançada recentemente, e traz na capa a personagem mais querida da novela, Bebel. Novamente, foi usada uma foto de divulgação, mas sem sombra de dúvidas, a capa com Camila Pitanga, deixa a do nacional no chinelo. O cd pode ser considerado uma trilha de qualidade, onde encontram-se intérpretes de diversos segmentos. Dominando as rádios do país, James Morisson faz a sua estréia em trilhas de novela, com "You Give Me Something", tema do mais novo casal da novela, Gilda (Luli Miller) e Gustavo (Marco Ricca). Conquistando cada vez mais fãs, John Legend também deixa sua marca com "P.D.A. (We Just Don't Care)", que teve seu clipe gravado pelos pontos turísticos do Rio de Janeiro. Paolo Nutini também vai seguindo a trilha do sucesso com a baladinha "Last Request".

Também no caminho de ser tornar um "queridinho" da Som Livre, Michael Bublé aparece com uma regravação do grande sucesso "Me and Mr. Jones", inesquecível na voz de Billy Paul. Em "Paraíso Tropical", a música serve de tema para o casalzinho adolescente, cheio de conflitos, formado por Mateus (Gustavo Leão) e Camila (Patrícia Werneck). Aliás, o que não falta na trilha da novela é reviver o passado. Temos Caetano Veloso, interpretando "The Man I Love", tema da sofrida Joana (Fernanda Machado), Sergio Mendes, acompanhado do Brasil' 66, com "So Many Stars", além de é claro, Harry Nilsson, e a versão original de "Without You". A música, tema do amor do casal principal, Paula (Alessandra Negrini) e Daniel (Fábio Assunção), é outra que já teve lugar cativo na trilha da minissérie "Labirinto", além de já ter sido interpretada por diversos cantores, como Mariah Carey, Air Supply, entre outros...

Vilã também merece um tema, e o de Taís (Alessandra Negrini) não fica devendo absolutamente nada à canção dos mocinhos. Suas ações e planos mirabolantes são acompanhados pela sensual canção de B. B. King, "The Thrill Is Gone". Não menos sensual, "Mon Manége à Moi" de Etienne Daho, também se destaca na novela. Não só por ser tema do inusitado casal Olavo (Wagner Moura) e Bebel (Camila Pitanga), mas por seguir uma nova tendência iniciada em "Belíssima", que é ter um canção em francês na trilha internacional. Michael Bolton traz novamente um tema para uma personagem de Glória Pires, tal qual oorreu em "Belíssima". Só que aqui, ao invés de a canção "You Got To My Head" servir de tema para um personagem seu com o de Tony Ramos, o par foi trocado, e a música serve de tema para Lúcia (Glória Pires) e Cássio (Marcello Antony).

Vale destacar ainda, o sempre presente Rod Stewart, com "Have You Ever Seen The Rain?"; Madeleine Peyroux, com "Summerwind"; "Breenzin'" num dueto de George Benson e Al Jarreau; "Since I Fell You Love" de Gladys Knight, além de "Dream Dancing", de Ella Fitzgerald, uma das divas do jazz, e que domina as cenas românticas do casal, Antenor (Tony Ramos) e Lúcia (Glória Pires)

Paraíso Tropical Internacional

CLIQUE AQUI para baixar a parte 1
CLIQUE AQUI para baixar a parte 2!

Capa: Bebel (Camila Pitanga)

01. You Give Me Something - James Morrison (tema de Gilda e Gustavo)
02. Last Request - Paolo Nutini
03. P.D.A. (We Just Don´t Care) - John Legend
04. Have You Ever Seen The Rain? - Rod Stewart
05. Without You - Harry Nilsson (tema de Paula e Daniel)
06. Me and Mrs. Jones - Michale Bublé (tema de Mateus e Camila)
07. Since I Fell For You - Gladys Knight
08. You Go To My Head - Michael Bolton (tema de Lúcia e Cássio)
09. Summerwind - Madeleine Peyroux
10. Mon Manége à Moi - Etienne Daho (tema de Bebel e Olavo)
11. Chaya Chaya - Nukleouz & DJ Seduction
12. The Thrill Is Gone - B.B. King (tema de Taís)
13. Breenzin´ - George Benson & Al Jarreau
14. The Man I Love - Caetano Veloso (tema de Joana)
15. So Many Stars - Sérgio Mendes & Brasil ´66
16. Dream Dancing - Ella Fitzgerald
17. I´m Sorry - Brenda Lee
18. Vida Mía - Nora Rocca

A partir dos anos 50, a teledramaturgia começou a ser desenvolvida no Brasil para hoje formar um dos produtos culturais de maior aceitação popular no país: a telenovela. A década de 70 marcou a primeira etapa do desenvolvimento do "monopólio" que a Rede Globo tem em relação à produção de telenovelas. Poder que se mantém até hoje com a popular "novela das 8", que vai ao ar no horário nobre, tem capítulos para aproximadamente 8 meses e possui os maiores pontos de audiência de todo o país. Por mais que o monopólio global possa ajudar no desenvolvimento da técnica nas telenovelas, está a população brasileira tão acostumada aos clichês e padrões, provenientes deste monopólio, das atuais telenovelas? Sendo clichês absurdamente superficiais, especialmente em novelas do horário nobre, a ilusão que estes supostos programas de entretenimento provocam na população é praticamente explícita.

Paraíso Tropical, cuja produção estreou em 5 de março de 2007, ficando no ar até 28 de setembro do mesmo ano, foi uma telenovela global do horário nobre com 179 capítulos. Mantendo firme o padrão da cidade-cenário das telenovelas da Globo, Paraíso Tropicalpassa-se no Rio de Janeiro, mais especificamente no bairro de Copacabana. A trama da telenovela se estende em diversos núcleos de condições financeiras altas, enquanto os personagens mais pobres se limitam às garotas de programa como Bebel, interpretada por Camila Pitanga, garota que ambiciosa que anseia pela alta classe do Rio durante toda a novela.Em muitas telenovelas da Globo, os enredos sempre tentam chegar à camada pobre da população, mostrando algum cenário de outra zona do Rio, por mais discretos que possa ser. Entretanto, em Paraíso Tropical, as cenas que se fecham à “mostrar” a cara do Rio de Janeiro se limitam à paisagens belíssimas, tropicais, em cores e focos altamente atrativos, estereotipando a cidade superficialmente como se a “outra parte” do Rio não existisse.Paraíso Tropical trás aos brasileiros muitos outros estereótipos, sempre exterminando a pobreza, verdadeira realidade da maioria na cidade e no país. Só assistindo à entrada da novela, é percebível o quão a telenovela se centra emCopacabana, tendo como música-tema da abertura é Sábado em Copacabana, interpretado por Maria Bethânia. Por mais que a novela tenha como tema central Copacabana, é rara as gravações de cenas externas. Quase sempre são cenas gravadas no Projac do Rio de Janeiro em casas ou apartamentos enormes e luxuosos. Todos os núcleos da trama são sempre envolvidos com a alta classe do Rio. Os assuntos do núcleo sempre envolvem dinheiro, mas nunca como problema gravíssimo como a miséria ou a fome, até mesmo dentro do núcleo de prostitutas. Os estereótipos de maiores problemas dos personagens variam de desilusões amorosas à mal relacionamento familiar, contrastando, como sempre, com a realidade carioca e brasileira.

O merchandising dentro da telenovela Paraíso Tropical está presente em praticamente todos os capítulos, desde shampoos à bancos. A cantora Ivete Sangalo foi convidada a fazer uma participação na novela não como uma ponta que se relacioná-se à algum personagem, mas sim como garota-propaganda de um shampoo. A telenovela também consta com show de famosos como o de Milton Nascimento, trazendo outros famosos à assistir como a dupla Sandy&Júnior e Wanessa Camargo. Shows sempre reservados à alta classe, só no último capítulo, Paraíso Tropical fez uma homenagem completamente clichê, que já havia sido feita em outras telenovelas, mostrando toda a equipe técnica, sorrindo, rindo e batendo palmas no show, como se fossem as pessoas mais felizes e sortudas do mundo por trabalharem na telenovela.

Paraíso Tropical é mais uma telenovela global com os mesmos padrões, mas que continua “entretendo” brasileiros repletos de ilusão durante toda sua transmissão. Esta ilusão compromete a integridade nacional da população, o entendimento, a compreensão da atual realidade do país que é totalmente quebrada e esquecida por um simples programa de televisão. Além disso, também compromete a identidade cultural de cada brasileiro, que pode estar completamente iludido com o que lhe é concebido, pensando que a ficção de um paraíso tropical é comum e é maioria no país. Como o brasileiro pode encarar isso se tudo que tem condições de ter acesso não se enquadra à sua realidade? A tevê aberta, por mais “fechada” e monopolizada que seja, continua controlando a população que assiste às suas produções fictícias, tornando-as como objetivo de vida, como o ideal de vida, a ideal realidade brasileira, enquanto ela é completamente oposta e o entretenimento tenta fingir que não existe. Paraíso tropical? Que ironia. Clarisse de Almeida
Com o blog Teledramaturgia Uol

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário