domingo, 31 de outubro de 2010

LOUCO AMOR [1983]

LOUCO AMOR [1983]

Sinopse
A jovem e rica Patrícia é apaixonada por Luís Carlos, filho de Isolda, a empregada doméstica da família Dumont. Mãe e filho sempre moraram como funcionários na mansãodo embaixador André e sua esposa, Renata Dumont, os pais de Patrícia. Um segredo dopassado prende Isolda àquela casa e à sra. Dumont. No aniversário da moça, Luís Carlos é proibido de entrar no salão por Renata, que somente permite que ele guarde os carros e não se esqueça de sua condição social inferior.


Com essa situação de injustiça, nasce a raiva e a fúria que irá modificar inteiramente orelacionamento entre eles: Luís Carlos solta os cães, que invadem o salão e atacam André, o qual fica coxo em conseqüência dessa investida. Para impedir a união de Luís Carlos e Patrícia, Renata manda a filha para a Europa.
Seis anos depois, Luís Carlos fica sabendo que Patrícia vai voltar ao país. A partir daí, iniciam-se a história e o confronto entre dois mundos bastante diferentes. Patrícia retorna com um filho e é obrigada pela mãe a esconder a paternidade da criança. Enquanto isso, Luís Carlos se apaixona por Cláudia, antiga colega de faculdade, moça pobre e batalhadora, porém ambiciosa, e que se envolve por interesse com Lipe, filho dos Dumont. Mas Renata continua a lutar contra a união de sua família com pessoas de classe social inferior, e fará de tudo para impedir essa união, como já acontecera com sua filha.


Contudo, o alvo de Renata é também o seu velho cunhado Edgar (com seu bordão "E-E-E eu não sei?!"), que se apaixonou pela simplória manicure Gisela, a qual ele chama de Gisele. Contra as injustiças de Renata Dumont está Mouriel, amiga da família, uma mulhercasada com um homem mais jovem, Guilherme, o proprietário da revista Stampa.
Elenco em ordem de abertura


Fábio Júnior - Luís Carlos Becker
Glória Pires - Cláudia
Bruna Lombardi - Patrícia Dumont
Christiane Torloni - Lúcia
Lauro Corona - Lipe (Felipe Dumont)
Beth Goulart - Carlinha
José Lewgoy - Edgar Dumont
Nicette Bruno - Isolda Becker

Mário Lago - Agenor Rocha
Carlos Eduardo Dolabella - Fernando Lins
Fernando Torres - Alfredo
Arlete Salles - Isadora
Mauro Mendonça - Embaixador André Dumont
Yolanda Cardoso - Alda Maria
Lourdes Mayer - Raquel
Rosita Thomaz Lopes - Nanda
Lady Francisco - Gisela
Chica Xavier - Denise
Cláudia Costa - Mônica
Bia Seidl - Luciana
Clementino Kelé Gonçalo
Rosane Gofman - Estelinha
Participações especiais

Antônio Fagundes  - Jorge Augusto
Carlos Alberto Riccelli - Márcio
Atrizes convidadas


Tônia Carrero - Mouriel
Tereza Rachel - Renata Dumont (Agetilde Rocha)
Reginaldo Faria como Guilherme

Elenco de apoio
Beatriz Segall - Lourdes Mesquita
Joana Fomm - Laura(falecida esposa de Edgar)
Edson Celulari - Marcelo Paiva(rico pretendente apresentado por Renata a Patrícia no primeiro capítulo)
Carlos Gregório - Eurico(divide apartamento com Luís Carlos no primeiro capítulo)
Armando Bogus - Sampaio
Francisco Milani - Vicente
Otávio Augusto - Rodolfo
Neuza Amaral - Margarida
Stepan Nercessian - Pedro
Ary Coslov - Alberto Zelner
Ivan Cândido - Inspetor Cunha
Zeni Pereira - Zefa
Lídia Mattos - Dirce
Paulo Pinheiro - Dr. Cardoso
Gilberto Martinho - Dr. Sílvio Acácio(pai de Márcia)
Hemílcio Fróes - Médico de Edgar
Marco Miranda - Detetive contratado por André para investigar Renata
Paulo Villaça
Thelma Reston
Milton Moraes - Sérgio
Ilka Soares - Márcia
José Leonardo - Marquinho (Marcos Dumont Becker)
Eduardo de Michellis - João
Luciano Sabino - Dudu
Telmo Faria - Walter
Glória Alves - Daniela
Adelaide Conceição - Débora
Desireé Vignolli - Maria Luiza
Paula Bokel - Neli
Márcia Gastaldi - Nilda
Francisco Nagen
Carlos Tatiano
Fredy Monteiro
Tônia Olivier
Manoel Eliziário


LOUCO AMOR [1983] - RESUMO DA NOVELA
de Gilberto Braga, exibida pela TV Globo de 11/04/83 a 21/10/83 as 20 hrs em 167 caps.
Será extraido do livro da coleção AS GRANDES TELENOVELAS, lançado em 1985.
Quem assistiu vai relembrar, quem não viu vai conhecer a história de uma das melhores novelas do mestre Gilberto Braga.

A exemplo do que havia acontecido em Água-Viva, três anos antes, Tônia Carrero perdeu o papel de vilã numa novela de Gilberto Braga. A personagem Renata Dumont foi para a atriz Tereza Rachel.
Os dois casais de protagonistas eram casados na vida real. Bruna Lombardi com Carlos Alberto Ricelli e Fábio Júnior com Glória Pires.
Bruna Lombardi teve que se ausentar por um período da novela. Em cena, comentou-se que Patrícia, sua personagem, teria ido à São Paulo, visitar a prima Juliana, alusão à personagem de Maitê Proença em Guerra dos Sexos, novela da emissora das 19 hs, na época.
O clima pesado entre os protagonistas fez com que alguns desfechos fossem alterados. Bruna Lombardi não se entendia com Fábio Júnior e o personagem dele terminou a novela ao lado de Cláudia. Glória Pires, a intérprete de Cláudia era sua esposa na época em, já em fase de separação, teve que gravar as últimas cenas românticas de sua personagem ao lado do personagem de Fábio.
O tema de abertura, Nosso Louco Amor, interpretado pelo grupo Gang 90 e As Absurdettes, fez sucesso na época, sendo considerado um dos hits dos anos 80.


Gilberto Braga afirma que essa novela foi a que menos gostou de ter escrito: "Foi a minha novela mais chata", disse em entrevista de2004. Curiosamente, a trama foi um sucesso. Existia o clima folhetinesco que envolvia a personagem Renata Dumont, a sustentação de toda a trama, numa antológica interpretação de Tereza Rachel.
Destaque para o casal vivido por José Lewgoy e Lady Francisco, que foi um enorme sucesso. Era de Lewgoy, o inesquecível bordão "E, eu eu, não sei?!"
Luís Carlos chamava Agenor, o pai de Renata, de pai, já que ele havia ajudado Isolda a criá-lo.
Primeira novela de Rosane Gofman.
Teve título provisório de Sangue Leve.
A TV Azteca realizará o remake da novela intitulado "Entre el amor y el deseo" prevista para 2010. Será a primeira novela da emissora mexicana em parceria com a Rede Globo.

LOUCO AMOR - SINOPSE
A jovem e rica Patrícia [Bruna Lombardi] é apaixonada por Luís Carlos [Fábio Júnior], filho de Isolda [Nicette Bruno], a empregada doméstica da família Dumont. Mãe e filho sempre moraram como funcionários na mansão do embaixador André [Mauro Mendonça] e sua esposa, Renata [Tereza Rachel] os pais de Patrícia. Um segredo do passado prende Isolda àquela casa e à sra. Dumont. No aniversário da moça, Luís Carlos é proibido de entrar no salão por Renata, que somente permite que ele guarde os carros e não se esqueça de sua condição social inferior.
Com essa situação de injustiça, nasce a raiva e a fúria que irá modificar inteiramente o relacionamento entre eles: Luís Carlos solta os cães, que invadem o salão e atacam André, o qual fica coxo em conseqüência dessa investida. Para impedir a união de Luís Carlos e Patrícia, Renata manda a filha para a Europa.
Seis anos depois, Luís Carlos fica sabendo que Patrícia vai voltar ao país. A partir daí, iniciam-se a história e o confronto entre dois mundos bastante diferentes. Patrícia retorna com um filho e é obrigada pela mãe a esconder a paternidade da criança. Enquanto isso, Luís Carlos se apaixona por Cláudia [Glória Pires], antiga colega de faculdade, moça pobre e batalhadora, porém ambiciosa, e que se envolve por interesse com Lipe [Lauro Corona], filho dos Dumont. Mas Renata continua a lutar contra a união de sua família com pessoas de classe social inferior, e fará de tudo para impedir essa união, como já acontecera com sua filha.
Contudo, o alvo de Renata é também o seu velho cunhado Edgar [José Lewgoy], que se apaixonou pela simplória manicure Gisela [Lady Francisco], a qual ele chama de Gisele. Contra as injustiças de Renata Dumont está Muriel [Tônia Carrero], amiga da família, uma mulher casada com um homem mais jovem, Guilherme [Reginaldo Faria], o proprietário da revista Stampa.
CAP.01
Aguardando a hora de sair para a cerimônia de formatura, Luiz Carlos [Fábio Júnior], folheava distraidamente o jornal. Estava desanimado pois o diploma do curso de Comunicação, que receberia naquela tarde, não lhe garantira ainda, melhor emprego que o de vendedor em uma loja de calçados, além do mais, teria de devolver em três dias o apartamento minúsculo que dividia com um colega de turma.
Ao abrir a página de coluna social, uma nota lhe chamou a atenção. Depois de seis anos, o embaixador do Brasil em Londres, André Dumont [Mauro Mendonça], retornava ao Brasil com a famíla.
Seis anos sem ver Patrícia [Bruna Lombardi], paixão da sua vida, com quem não deixara de sonhar uma noite sequer, sempre na esperança de tê-la novamente em seus braços.
Luiz Carlos lembrou-se da última vez que estivera com Patrícia.
1974 - Numa festa em grande estilo na mansão do tio Edgar [José Lewgoy], Patrícia comemorava seus dezessete anos, Luiz Carlos trabalhando como garçom servia aos inúmeros convidados vestidos a black-tie que desfilavam pelos salões da mansão. O barulho da música que se misturava as risadas o deixava tonto, ele disfarçava o ódio e a humilhação que Renata [Tereza Rachel] havia lhe imposto, transformando-o de convidado a garçom.
Ela o chatageava pois havia descoberto o romance secreto dele com Patrícia, ela jamais permitiria que sua enteada se relacionasse com o filho da cozinheira, Isolda [Nicette Bruno], caso ele se recusasse ela o entregaria a André.


Não satisfeita, Renata fazia questão de apresentar Patrícia a possíveis pretendentes entre eles Marcelo Paiva [Edson Celulari], filho de um conhecido juíz, Marcelo admirado com a beleza de Patricia cortejava-a sem saber que estava sendo utilizado pra castigar Luiz Carlos.
Com a festa chegando ao fim, Patrícia inventou uma desculpa e se retirou para o quarto, livrando-se de aturar Renata e sua insistência. Luiz Carlos recolhia sobras da festa quando ouviu a voz de Renata, que havia percebido sua presença.
Ela conversava com o filho do juiz e propositadamente fez com que ele deixasse cair as chaves do carro no gramado.
Então ela chamou Luiz Carlos e mandou que ele as apanhasse, de modo a obrigá-lo a se agachar diante do rapaz. Em seguida ordenou impaciente que ele fosse buscar o automóvel, ele não conseguia acreditar, dessa vez ela havia passado dos limites. Tomado de rancor ele fingiu obedecer, mas ao passar pelo canil destrancou a portinhola e deixou que todos os cães escapassem.
Como que solidários a Luiz Carlos, os cães furiosos atacaram Renata e o filho do juiz, depois espalharam-se pela festa provocando o terror. O embaixador André Dumont que tentava se refugiar no segundo andar ao perceber um dos animais no topo da escada, rolou os degraus, a festa terminou no hospital com algumas pessoas feridas entre eles Renata e André.
Por uma empregada Renata ficou sabendo que havia sido Luiz Carlos o responsável, então ele foi proibido de voltar a por os pés naquela casa, enquanto André nomeado pra assumir a embaixada em Buenos Aires, embarcou com a família poucos dias depois.
CAP.02
Distraido com as lembranças do passado, Luiz Carlos vê Isolda se aproximando e dispara:
- Patrícia vai chegar, não é?
A pergunta pega Isolda de surpresa, sentados no bar do Hotel Intercontinental, eles faziam hora para o início da cerimônia de colação de grau.
Inicialmente hesitante, Isolda terminou confirmando a chegada de Patrícia na manhã seguinte, alertou porém que ele não deveria procurá-la em hipótese alguma, pois significava colocar o emprego dela em risco, em seguida pra encerrar a conversa ela tirou da bolsa uma caixa com uma caneta de ouro e deu de presente a Luiz Carlos. Ele ainda tentou reiniciar o diálogo, convidando-a pra jantar, mas ela disse que não poderia aceitar.
Luiz Carlos muito magoado, esforçou-se para conter as lágrimas. Que mãe era aquela afinal, que lhe dava um presente como aquele, mas que era incapaz de um gesto de carinho?
Quando Isolda foi embora, depois de encerrada a cerimônia, Luiz Carlos não se conteve, e atirou a caneta longe. À distância, um homem de barba e cabelos grisalhos o observava, então ele se aproximou a fim de consolar Luiz Carlos, disse que se chamava Alfredo [Fernando Torres], e que era pai de uma das colegas de turma dele, Cláudia [Glória Pires].
Sem querer ele havia escutado algumas conversas e ficara sabendo por terceiros das dificuldades do rapaz.
Por isso, o convidava a dividir o quarto em que morava, num velho casarão no centro do Rio.
Explicou que não havia muito conforto, mas servia como solução temporária até o rapaz arrumar um emprego melhor e poder morar sozinho. Tocado pelas palavras daquele homem, que sem jamais tê-lo visto, mostrava-se tão solidário, Luiz Carlos aceitou.
De alguma forma Alfredo identificava-se com Luiz Carlos. Frustrado profissionalmente como fotógrafo e separado da mulher Isa [Arlete Salles], tinha duas filhas do casamento com ela; a mais velha Cláudia, inteligente e ambiciosa, sonhava tornar-se uma grande jornalista e o desprezava. Carlinha [Beth Goulart], a caçula, ao contrário da irmã, gostava do pai.
Despretensiosa como ele, trabalhava como vendedora em uma butique.
A falta de perspectivas na vida, e o fato de não conseguir ajudar Isa na criação das filhas empurrava Alfredo para a bebida.
Momentos mais tarde, no quarto de Alfredo, Luiz Carlos arrumando suas coisas colocou uma foto de Patrícia sobre a mesa de cabeceira.
- Como é o nome dela? - quis saber Alfredo. - É linda!
- Patrícia. E deve estar agora voando sobre o Oceano Atlântico. Eu dava tudo, tudo pra saber se ela ainda pensa em mim...
Motivado pelo interesse de Alfredo, Luiz Carlos contou que ainda pequeno fora viver na casa de Edgar Dumont, onde Isolda se empregara como cozinheira. Naquela época Laura [ Joana Fomm] ainda era viva. Luiz Carlos convivia em pé de igualdade com os sobrinhos de Edgar, Patrícia e seu irmão Felipe [Lauro Corona], sempre que o embaixador André Dumont vinha com a família passar férias no Brasil. A paixão por Patrícia vinha desde que eram crianças. A medida que o tempo passava, ela se intensificou e eles planejavam se casar.
Contrariada com a relação que a enteada tinha com o filho da empregada, Renata fez de tudo e acabou conseguindo separá-los. Patrícia se mudou com a família pra Buenos Aires e em seguida foram para Londres.
Na manhã seguinte, a família de André Dumont chegou ao Rio acrescida de João [Eduardo de Michellis], um garoto de cinco anos adotado por André e Renata.
Edgar, a quem não agradava a idéia de crianças pequenas correndo pela casa, queixou-se com Gonçalo [Clementino Kelé], seu motorista.
Por conta de uma esclerose, ele balbuciava as palavras, fazendo um grande esforço pra pronuniciá-las. A doença vivia lhe criando constrangimentos, na véspera, confundindo a data do aniversário de sua falecida esposa Laura com a chegada de André, levara ao aeroporto as flores que mandara comprar pra colocar no túmulo da mulher.
CAP.03
Assim que Renata entrou na mansão se dirigiu à Isolda, perguntando sobre Luiz Carlos, se ele havia esquecido Patrícia. Isolda respondeu que de acordo com as ordens recebidas, ele jamais voltara aquela casa, Renata ainda pediu pra ser informada caso Patrícia demonstrasse qualquer interesse em obter notícias dele.
Luiz Carlos por sua vez, não resistindo à saudade, desobedeceu aos conselhos da mãe, e foi à mansão na esperança de ver Patrícia de perto. Logo ao entrar estranhou a presença do menino, pelo que ele conhecia de Renata, ela jamais adotaria uma criança. Isolda ao vê-lo implorou pra que ele fosse embora, nesse instante sem perceber a sua presença, Patrícia entra de surpresa na cozinha. Continuava linda, deslumbrante, Luiz Carlos tremeu, nervoso.
Desempregado, sem ter vencido na vida, não tinha coragem de encará-la, deprimido partiu sem falar com ela.
Na noite seguinte foi oferecido na mansão um jantar ao casal Lúcia [Christiane Torloni] e Fernando [Carlos Eduardo Dolabella], o braço direito nos negócios de Edgar.
Ao se retirarem da mesa após o término do jantar Renata o segurou pelo braço esperando que todos se afastassem. Ela ouvira uma conversa de Edgar em que ele dizia que pretendia fazer um testamento, o que lhe parecia desnecessário pois Lipe e Patrícia eram os herdeiros naturais do tio, Fernando disse a ela que Edgar e André tinham um irmão que havia cometido um crime, matando um homem e suicidando-se em seguida, por causa de uma mulher. Quando Bernardo, o irmão, cometera o crime, a mulher estava esperando um filho, logo ele teria direito a herança tanto quanto Lipe e Patrícia. Na opinião de Fernando no entanto, não havia a menor chance de encontrar esse herdeiro, o que deixou Renata satisfeita.
Depois de uma tarde inteira de espera, Luiz Carlos afinal conseguiu que Guilherme [Reginaldo Faria] o recebesse. Intimidado, entrou no escritório e fechou a porta.
Conseguir um emprego na revista Stampa era a oportunidade que ele precisava pra dar um novo rumo em sua vida.
Guilherme continuava resolvendo negócios ao telefone. Era um homem relativamente jovem e muito charmoso, casado com uma mulher dez anos mais velha, mas muito bonita, Muriel [Tônia Carrero], que também era produtora de moda na revista.
Luiz Carlos examinou rapidamente o escritório, as capas da revista transformadas em posters, a estante cheia de livros, a mesa coberta de folhas de papel.
Ele havia chegado até lá graças à Denise [Chica Xavier] empregada dos Dumont e que intercedera junto a mãe de Guilherme, Nanda [Rosita Thomaz Lopes], para que fosse dada uma oportunidade a ele.
- Você é conhecido de minha mãe, não é? - disse ele ao desligar o telefone.
- Mais ou menos, ela conhece um pouco a minha mãe.
Conversaram rapidamente e logo Guilherme pediu o curriculum do rapaz.
Notando que ele não tinha nenhuma experiência, apenas o curso de Comunicação, disse que infelizmente não poderia contratá-lo. Luiz Carlos ja estava deixando o escritório, quando Mônica [Cláudia Costa], a secretária, informou a Guilherme que Raimundo o office-boy da revista tornara a faltar. No mesmo instante ele ofereceu o cargo a Luiz Carlos, que almejando um futuro dentro da revista aceitou prontamente. Não se tratava da função ideal, mas era a oportunidade de estar inserido dentro do ambiente profissional que ele queria, e o salário seria melhor que o da loja de calçados.
Do lado de fora, Cláudia [Glória Pires] que havia acompanhado Luiz Carlos, encontrara com a mãe de Guilherme, Nanda e conversavam sobre o livro que Nanda terminara de editar, "Nossa Sociedade", um catálogo exclusivo com os contatos da alta sociedade carioca.
Assim que Luiz Carlos deu a notícia de sua contratação e soube por Nanda da relação de parentesco entre Guilherme e Fernando temeu por seu futuro. Lúcia, mulher de Fernando era irmã de Guilherme e filha de Nanda, Fernando era ligado aos Dumont e mais cedo ou mais tarde Renata saberia o seu novo local de trabalho.
CAP.04
A preocupação de Luiz Carlos tinha fundamento, Renata o havia procurado na loja de calçados, pois ficara sabendo que ele estivera na mansão, e decidira forçá-lo a desistir de qualquer pretensão em tentar rever Patrícia, disse que uma moça como ela jamais se envolveria com um mero vendedor de sapatos e que ele deveria desaparecer pra sempre da vida deles.
Nanda no entanto percebendo o nervosismo do rapaz procurou acalmá-lo, afirmando que conversaria com Renata pra deixá-lo em paz.
Cláudia era uma jovem bastante ambiciosa e tinha motivos de sobra pra acompanhar Luiz Carlos naquela tarde, Cláudia também queria uma oportunidade de trabalho na Stampa, quando ela estava esperando pra ser recebida por Guilherme ouviu Muriel dizendo que eles pretendiam convencer o próprio Fernando a posar para os anúncios publicitários da fábrica de tecidos de Edgar, a qual Fernando era o diretor. Então ela disse que esse era um trabalho pra uma mulher jovem e que tivesse todo o charme e paciência no trato com um homem mais velho, pediu pra ser mandada pra falar com ele e conseguiu de Guilherme a promessa de uma contratação na revista caso conseguisse persuadí-lo a fazer as fotos.
A tarefa se mostrou ingrata, no mesmo dia ela foi até à fábrica pra falar com Fernando, foi tratada com frieza e descrédito, além disso recebeu respostas desaforadas dele, por outro lado, teve a oportunidade de conhecer Lipe [Lauro Corona], sobrinho de Edgar que a mando de Renata havia ido à fábrica se informar com Fernando sobre o que herdaria de Edgar num possível testamento.
Na manhã seguinte Luiz Carlos se apresentou na Stampa. Estava tão animado com tudo que não percebeu a presença de Márcio [Carlos Alberto Ricceli], um jovem modelo que fotografava pra revista, e que falava ao telefone.
Luiz Carlos ficaria atônito se soubesse que do outro lado da linha estava Renata, e que eles estavam marcando um encontro pra logo mais.
Se essa surpresa lhe escapara, outra, bem mais agradável, não.
Ao voltar da rua, depois de terminadas as tarefas que haviam lhe incumbido, deu de cara com Patrícia na sala de espera da revista.
Luiz Carlos não conseguiu esconder a surpresa e o constrangimento diante da situação inesperada, após esse momento em que se notava a ansiedade em ambas as partes, ele discretamente pediu à Mônica [Cláudia Costa] a secretária, uma quantia de dinheiro emprestado, e tomado de coragem convidou Patrícia para almoçar.
Sentados num restaurante afastado na Barra da Tijuca, lembraram do passado, quando Patrícia o deixou esperando no aeroporto do Galeão, frustrando o plano de fuga que não tivera a coragem de assumir, mas a barra pesou quando o assunto recaiu sobre João, o menino que Luiz Carlos vira na casa de Edgar. Os dois discutiram, ela insistindo que o menino era seu irmão adotivo, e ele não querendo acreditar.
Por achá-la mentirosa, Luiz Carlos atirou o dinheiro da conta sobre a mesa e saiu do restaurante, Patrícia foi atrás e alcançou para dizer que o amava. Na porta do restaurante de frente para a praia e depois de seis anos os dois voltavam a se beijar, beijos de paixão ardente, tão intensa como antes. Aquele encontro valeu a Luiz Carlos a certeza de que Patrícia e ele teriam chance de um recomeço e a bronca de Mônica por atrasar-se logo no primeiro dia de trabalho.
Longe dali, Renata tocou a campainha da casa do pai, Agenor [Mário Lago], logo que entrou viu que Márcio o aguardava bem a vontade na sala de estar, os dois se abraçaram demonstrando bastante carinho e intimidade, logo depois Agenor saiu da sala, deixando-os à sós.
Viram fotografias de Renata em Londres e conversaram sobre o futuro. Nos planos dela, assim que André conseguisse um novo posto, e ela apostava em Washington, ela faria o que fosse preciso para ter Márcio por perto, antes de se despedirem ela fez um cheque pra ele e marcaram um novo encontro sigiloso.


CAP.05
Na noite de sexta feira, Nanda reuniu a nata da alta sociedade carioca em torno de um jantar preparado pra recepcionar Renata em sua volta ao Brasil. Acompanhada de Lipe, Patrícia e Edgar ela adentrou ao salão deslumbrante, num tomara que caia preto, com um diamante preso ao decote chamando a atenção de todos os presentes. Renata pensava tratar-se de um modelo exclusivo da alta costura, porém ela teve um choque ao notar que Muriel vestia um modelo idêntico. A antipatia que elas sentiam uma pela outra era recíproca, Muriel não suportava a falta de caráter da embaixatriz, Renata quando mais jovem havia destruido o namoro dela com André, sua grande paixão no passado. A fim de se livrar da saia justa criada pela rival, Muriel não pensou duas vezes: aproveitando que o forro do vestido era vermelho ela foi ao toilette e colocou o vestido do avesso, ressurgindo ainda mais bela no salão e deixando Renata cheia de ódio.
- E André, porque não veio? - quis saber Nanda ao se aproximar de Renata.
- André mandou pedir mil desculpas, ele teve uma terrível crise de enxaqueca. - dissimulou Renata.
Ela não queria revelar o motivo da ausência de André, pouco antes de sair, já prontos para a festa haviam discutido asperamente, ele a acusava de ser ambiciosa e egoísta, de só pensar em si e na realização de seus desejos, tudo porque na intenção de deixar André em evidência dissera a ele que pretendia dar uma festa e que usaria como falso pretexto o aniversário de Edgar pra reunir as pessoas certas, tudo o que ela mais queria, era que ele fosse indicado ao posto de embaixador em Washington.
Ela ja havia conversado com Edgar que não ficou muito entusiasmado com a idéia, mesmo porque jurava que não era ele que fazia aniversário, mas André.
Distribuindo sorrisos pelo salão, a embaixatriz observara satisfeita que na sala ao lado Patrícia e Márcio conversavam cheios de intimidade. Na mesma tarde Edgar havia revelado a ela que desistira de tentar encontrar o filho do falecido irmão, o que faria de Patrícia e Lipe seus únicos herdeiros, e mais, ele faria uma doação em vida pra cada um quando eles se casassem. Um plano veio-lhe a cabeça? Porque não fazer com que Patrícia e Márcio se casassem? Era uma ótima maneira de ter Márcio por perto para o resto da vida!
Naquele mesmo instante no centro da cidade, Luiz Carlos em seu quarto escrevia o roteiro de um filme. Texto que, como o de muitos outros jovens escritores, seria bastante elogiado, mas que terminaria esquecido no fundo de alguma gaveta. Tinha por companhia Alfredo, que, quebrando o silêncio e com a voz embriagada, lamentava-se por não ter conseguido arranjar o dinheiro para pagar o tratamento dentário de Carlinha.
Renata obteve êxito em seus planos, incentivada por ela, Patrícia parecia querer corresponder ao interesse de Márcio, ao mesmo tempo escondida, continuava se encontrando com Luiz Carlos. Na noite seguinte, Renata fez com que Márcio convidasse Patrícia para a estréia de uma ópera no Teatro Municipal, ao mesmo tempo pediu a Fernando que convidasse Luiz Carlos pra uma conversa na mansão, o propósito era oferecer a ele um emprego numa estação de rádio. Quando Fernando lhe disse que a tal estação de rádio ficava em João Pessoa, Luiz Carlos entendeu quem estava por trás da proposta, Renata havia engendrado um plano perfeito para afastá-lo de Patrícia. A ida de Luiz Carlos à mansão serviu também para que ele visse que Patrícia e Márcio estavam saindo juntos, manifestando ciúmes ele interpelou Patrícia na saída, que respondeu que eles estavam saindo apenas como amigos e que Luiz Carlos ficasse tranquilo, ela o procuraria no dia seguinte.
CAP.06
Desnorteado com aquela situação Luiz Carlos decidiu ir atrás de Patrícia e Márcio, tomou um táxi e decidiu ir esperá-los na porta do Teatro Municipal, quando chegou lá a ópera já havia acabado e ele ainda viu Patrícia entrando no carro de Márcio, decidiu seguí-los até que pararam para jantar em um conhecido restaurante, lugar que ele jamais teria condições de convidar Patrícia.
Eles já estavam sentados na mesa, quando Luiz Carlos surge de surpresa, movido pelo ciúme ele interpela Márcio, Patrícia envergonhada com o vexame dizia que não conhecia Luiz Carlos, que ainda mais agressivo ameaçava Márcio. Diante de tantos insultos Márcio acerta uns socos em Luiz Carlos que humilhado é jogado pra fora pelos seguranças da casa.
O incidente quase teve desdobramentos. Como Patrícia não havia mais entrado em contato com ele e, por mais que ligasse para a casa de Edgar, o telefone estivesse sempre ocupado, ele decidiu que tinha de procurá-la pessoalmente.
Renata tanto fez, que conseguiu dar a festa que pretendia na mansão, e Luiz Carlos chegou misturado aos primeiros convidados. Se ela o tivesse visto teria dado um escândalo, que não fosse por outro motivo, pelo menos pelos trajes inadequados, porém Lipe o encontrou primeiro e o levou para o jardim, avisando Patrícia em seguida. Quando Patrícia veio ao seu encontro eles começaram a discutir novamente, até que para dar um basta naquilo ela prometeu que sairia com ele no dia seguinte, conformado ele foi ao quarto de Isolda, enquanto Patrícia ia ao encontro de Márcio.
A festa estava no auge, grupos animadíssimos dividiam-se, entre eles Lipe e Cláudia que desde o dia que se conheceram na fábrica estavam cada vez mais próximos. Os dois conversavam com Edgar, que tinha planos de publicar um livro de memórias e estava em busca de alguém que se dispusesse a escrevê-las, Lipe teve a idéia de apresentar Cláudia a Edgar na esperança de que ele simpatizasse com ela para incumbí-la de escrever o livro.
Na área de serviço da mansão Isolda, mesmo atarefada com os serviços na festa ainda teve tempo de passar um sermão em Luiz Carlos, que nervoso não tinha paciência para aturar aquilo, quando ele ia saindo escutou a voz de Patrícia que conversava a sós com Márcio.
- Posso contar um segredo? Tenho horror à pobreza.
Luiz Carlos imaginou que ela se referia a ele, cada vez mais magoado com ela, ele se afastou tomando cuidado para não notarem sua presença.
- Eu queria nesse momento estar num belo apartamento só meu, na Île Saint Louis em Paris.
- Podia ser comigo? - perguntou Márcio, sedutor.
Com um jeito carinhoso ela segurou seu rosto. - Claro que sim...
Não resistindo ao brilho nos olhos de Patrícia e a maneira que ela falava, Márcio a beijou, primeiro suavemente como que para sentir sua reação, depois cheio de paixão.
Naquele momento acontecia na festa o primeiro beijo entre Lipe e Cláudia, momentos antes Edgar havia passado por uma situação constrangedora, ele havia confundido o embaixador de Gana com o chefe dos garçons, e Renata o ridicularizou na frente dos dois, inconformada com aquilo Muriel chamou Lipe e Cláudia pra organizarem uma vingança.
Zeca, colega de faculdade estava trabalhando na festa como garçom, foi convencido por Cláudia a se passar por filho de um grande músico de jazz, Renata que gostava de se mostrar bem informada fez diversos elogios ao "pai" do rapaz e ainda terminou por convidá-lo a passar um final de semana na ilha particular de Edgar em Angra.
Deliciado com a brincadeira, Edgar disse que há muito não se divertia tanto.
E Lipe aproveitou para declarar que Cláudia inteligente daquele jeito só podia ser a mulher de sua vida.


do Orkut

A Rede Globo e a TV Azteca anunciou em Los Angeles, uma parceria para a coprodução da novela “Louco amor”, de Gilberto Braga. O anúncio foi feito durante a participação das empresas no LA Screenings, uma das principais feiras do segmento, que acontece na cidade americana.
A TV Globo participa com “a sinopse original, o know-how criativo, o desenho artístico, a participação na pré-produção e o acompanhamento de todo o processo de produção”. A realização da adaptação de “Louco amor”, por sua vez, será responsabilidade da TV Azteca. A telenovela será gravada nos estúdios da empresa no México e conta com atores locais, com forte identificação com a empresa mexicana.

Um comentário:

  1. Essa foto de Tônia Carrero é da Stela Simpson, de ÁGUA VIVA. =D

    ResponderExcluir