sábado, 1 de janeiro de 2011

Novelas de ivani ribeiro


 Novelas de ivani ribeiro

Ivani Ribeiro, responsável por grandes e memoráveis sucessos de nossa dramaturgia.
Ivani Ribeiro

Nascida Cleyde Alves de Freitas Ferreira, assumiu o nome artístico, Ivani Ribeiro, desde os primórdios de sua carreira. Paulista da cidade de São Vicente, ela nasceu em 20 de feveiro de 1916.
Fomada em escola normal, em Santos, Ivani chegou à São Paulo com o objetivo de cursar a Escola de Filosofia, tendo como pretensão trabalhar no rádio. O início de sua trajetória neste veículo se deu quando, a Rádio Educadora, lhe ofereceu o emprego de intérprete de sambas e canções folclóricas. Como também era autora de alguns programas de rádio, logo ganhou notoriedade, mas alcançou mesmo maior sucesso quando, com a chegada da radiofonização de filmes famosos e de suas novelas, onde atuava como rádio-atriz e também redigia os textos, tornando-se célebre.

Mas foi na Tupi que Ivani se destacou, não no rádio, mas na tv, na recém-inaugurada Tv Tupi, onde chegou para escrever a série "Os Eternos Apaixonados". Mas sua primeira novela diária foi na Excelsior, "Corações em Conflito" já no fim do ano de 63, readaptando para a tv uma de suas histórias escritas para o rádio, que havia lhe consagrado. Ainda com relevante sucesso, escreveu"Ambição" e "Alma Cigana", mas suas reais pretensões neste novo veículo, só foram reconhecidas quando ela escreveu "A Moça que Veio de Longe", ganhando a projeção que merecia. Inclusive, esse sucesso foi o fio condutor para a ida de Ivani para a Excelsior, nos anos 60, se destacando no horário das 19:30h, onde realizou a proeza de escrever treze novelas consecutivas, todas com grande sucesso como: "A Deusa Vencida" (primeira novela de Regina Duarte, que curiosamente, interpretou meio que uma vilãzinha), "As Minas de Prata" (que tinha a mesma base de "A Padroeira" de Walcyr Carrasco", em 2001), "A Muralha" (que ganhou uma nova adaptação de Maria Adelaide Amaral, em forma de minissérie, em 2000) e "Os Estranhos" (que tinha a presença do jogador Pelé no elenco), num total de 1.600 capítulos escritos. Depois da grande temporada na Excelsior, a autora se revezou entre a Tupi, Bandeirantes e a Record.

 
Já na década de 70, a autora foi responsável pelos maiores sucessos da Tupi neste ano. Sucessos inesquecíveis, que nunca se apagam da memória dos telespectadores. Na maioria de seus grandes sucessos, Ivani teve Eva Wilma como protagonista, cativando o público. Foi assim com as gêmeasRuth e Rachel de "Mulheres de Areia", a irresistível Jô Penteado, de "A Barba Azul" que fugia de casamento como o diabo foge da cruz, ou ainda como a Dinah e seu amor transcedental por Otávio Jordão, em "A Viagem". Todos com grande sucesso, em que Ivani explorou muitíssimo bem os personagens de suas tramas, onde tudo deu certo. Ainda na Tupi, a autora ainda escreveria mais um sucesso: "O Profeta", uma das últimas tramas da Tupi, onde tudo foi perfeito. Já que na época não se contava com colaboradores, para a construção da trama, Ivani contou com ajuda de especialistas sobre os assuntos abordados na história, como o fato do personagem Daniel, intepretado por Carlos Augusto Strazzer ser um paranormal. Para dar veracidade à esta trama, ela contou com a ajuda de um psiquiatra, um sacerdote católico, um mentor espírita e um orientador de candomblé. O curioso, é que essas mesmas relgiiões discutiam o drama do personagem na história. Com o fechamento da Tupi, Ivani se redirecionou para a Bandeirantes, onde escreveu novelas de relevante sucesso como, o remake de "A Deusa Vencida", "Cavalo Amarelo", com Dercy Gonçalves, "Meu Pé de Laranja Lima" e "Os Adolescentes", onde recorreu novamente à assessoria de um psiquiatra, para um maior entendimento sobre os jovens.
Sua estréia na Globo ocorreu no ano de 1982, onde escreveu a novela "Final Feliz", um sucesso! A novela já se destacava pela abertura, onde grandes pares românticos do cinema hollywoodiano, assistiam aos próprios beijos na tela, ao som de "Flagra" de Rita Lee. Aliás, "Final Feliz" foi a única novela inédita escrita por Ivani Ribeiro na tv Globo, onde ela se caracterizou pelos remakes. Esta fase, de readaptações de suas próprias histórias, iniciou logo no ano 1984, quando a autora apresentou"Amor com Amor Se Paga", baseada em sua antiga novela da Tupi, "Camomila e Bem-Me-Quer" em 1972. Ary Fontoura se destacou como nunca, na pele do avarento Nonô Corrêa. Em 1985, Ivani marcava definitivamente seu nome na Tv Globo, contando as histórias e aventuras de Jô Penteado, de "A Gata Comeu", dando à C

hristiane Torloni o mesmo sucesso conquistado por Eva Wilma, na novela original, "A Barba Azul". Um elenco bem escalado e uma história consistente e movimentada foram os principais atrativos para a grande repercussão que esta novela teve.

Em 86, Ivani traz "Hipertensão", que teve o mote central retirado de"Nossa Filha Gabriela". Já no fim na década, Ivani trouxe para a tv uma outra história ispirada em suas tramas: "O Sexo dos Anjos", de 1989, foi uma reedição de "O Terceiro Pecado", de 1968. Nesta nova novela, os personagens que foram vividos por Regina Duarte (Isabela), Gianfrancesco Guarnieri (Adriano), Natália Thimberg (Anjo da Morte) e Maria Izabel de Lizandra (Ruth), passaram a ser interpretados por Isabela Garcia, Felipe Camargo, Bia Seidl e Sílvia Buarque. Mas sem sombras de dúvidas, as melhores tramas de Ivani Ribeiro na Globo ainda estavam por vir.

No início dos anos 90, a Rede Globo resolveu levar adiante o projeto de fazer uma reedição de"Mulheres de Areia", grande sucesso de Ivani da Tupi. Porém, após sucessivas conversas entre a autora e a emissora, eles resolveram adiar o projeto. Depois, já no meio do ano seguinte, o projeto veio novamente à tona, e a história foi aprovada para substituir "Felicidade" de Manoel Carlos, que estava sendo exibida no horário das 18h daquele ano. Porém, novamente, havia um obstáculo para que a história finalmente saísse do papel: Glória Pires, a atriz exigida (não foi uma escolha aleatória) para o papel das gêmeas-protagonistas, estava grávida, fazendo com que a novela fosse adiada novamente. Foi ao ar então uma novela produiza à toque de caixa, intitulada "Despedida de Solteiro", para que só depois, "Mulheres de Areia" fosse ao ar. Como tudo tem seu tempo certo, a trama foi a primeira novidade da emissora no ano de 1993. Como já podia se esperar, o sucesso foi imediato, e a história das irmãs gêmeas causou comoção em todo o Brasil, aliás, em todo o mundo, pois houveram países onde a trama foi exibida, em que até as eleições foram remarcadas para o dia do capítulo final da trama, garantindo assim, o comparecimento em massa da população.

Nesta novela, tudo caminhou para o sucesso: atuações seguras de todo o elenco, principalmente de Glória Pires; entrosamento entre os mesmos; a direção impecável de Wolf Maya, além do texto sempre indiscutível de Ivani Ribeiro. Aliás, a autora aderiu à "Mulheres de Areia", a espinha dorsal de "O Espantalho", novela sua, exibida pela Record.
Na carreira desta autora, ainda cabia espaço para mais um sucesso. Dessa vez, a autora trouxe novamente a tv, mais uma de suas histórias marcantes. 94 era o ano de outro remake, desta vez "A Viagem", em que ela soube como nunca, explicar sobre a vida após a morte. Nesta novela, Ivani colocou na tela e apresentou aos telespectadores, tudo sobre a sua crença e as diversas manifestações de sua doutrina. Novamente, um grande sucesso, contando com a presença de Christiane Torloni, interpretando mais um personagem que fora de Eva Wilma: Dinah. Esta foi a última novela escrita por Ivani Ribeiro, que faleceu aos 79 anos, em 17 de julho de 1995. Antes de morrer, Ivani deixou um argumento para uma novela pronto e uma minissérie de 12 capítulos sobre Machado de Assis. A novela, que tinha um núcleo de velinhos e iria se chamar "Caminho dos Ventos", acabou desenvolvida por Lauro César Muniz e Solange Castro Neves, que colaborou com a autora nos remakes de "Mulheres de Areia" e "A Viagem", e ganhou o título de "Quem É Você?". Porém, infelizmente, esta trama passou despercebida.

Ivani faleceu sem saber da morte de seu marido Dárcio Alves Ferreira. Ela já se encontrava em estado crítico, quando Dárcio veio a falecer, no dia 27 de junho, ou seja, vinte dias antes dela. Os dois estavam internados no mesmo hospital. Essas são mais umas das grandes ironias desta vida, ou simplesmente, mais uma das histórias que nem o rádio, nem a tv, souberam contar.
A autora alcançou uma grande conquista na Globo. Ela é a única autora que teve novelas reprisadas duas vezes na sessão Vale a Pena Ver de Novo: "A Gata Comeu" (1989/2001) e "A Viagem" (1997/2006). "A Gata Comeu" ainda teve o mérito de ser uma novela de 20 anos, quando foi reexibida, algo inacreditável para a Globo de hoje. Agora, a Globo prepara outro remake de uma novela de Ivani Ribeiro: "O Profeta", de 1977, que será rediatada por Thelma Guedes e Duca Rachid, sob supervisão de Walcyr Carrasco, e já tem Thiago Fragoso, Carol Castro e Paola Oliveira, nos papéis que foram de Carlos Augusto Strazzer, Glauce Graieb e Elaine Cristina. Que venha om sucesso!
Novelas:
"Corações em Conflito" (1963 - Excelsior); "Ambição" (1964 - Excelsior); "Alma Cigana" (1963 - Tupi); "A Moça que Veio de Longe" (1964 - Excelsior); "A Gata" (1964 - Tupi); "Se o Mar Contasse" (1964 - Tupi); "A Outra Face de Anita" (1964 - Excelsior); "Onde Nasce a Ilusão"(1965 - Excelsior); "A Indomável" (1965 - Excelsior); "Vidas Cruzadas" (1965 - Excelsior); "A Deusa Vencida" (1965 - Excelsior); "A Grande Viagem" (1965 - Excelsior); "Almas de Pedra"(1966 - Excelsior); "Anjo Marcado" (1966 - Excelsior); "As Minas de Prata" (1966 - Excelsior);"Os Fantoches" (1967 - Excelsior); "O Terceiro Pecado" (1968 - Excelsior); "A Muralha" (1968 - Excelsior); "Os Estranhos" (1969 - Excelsior); "A Menina do Veleiro Azul" (1969 - Excelsior);"Dez Vidas" (1969 - Excelsior); "As Bruxas" (1970 - Tupi); "O Meu Pé de Laranja Lima" (1970 - Tupi); "A Selvagem" (1971 - Tupi - argumento); "Nossa Filha Gabriela" (1971 - Tupi); "O Leopardo" (1972 - Record); "Camomila e Bem-Me-Quer" (1972 - Tupi); "Mulheres de Areia"(1973 - Tupi); "O Machão" (1974 - Tupi - argumento); "Os Inocentes" (1974 - Tupi); "A Barba Azul" (1974 - Tupi); "A Viagem" (1975 - Tupi); "O Espantalho" (1977 - Record); "O Profeta"(1977 - Tupi); "Aritana" (1978 - Tupi); "A Deusa Vencida" (1980 - Bandeirantes - remake); "Cavalo Amarelo" (1980 - Bandeirantes); "Meu Pé de Laranja Lima" (1980 - Bandeirantes); "Os Adolescentes" (1981 - Bandeirantes); "Final Feliz" (1982 - Globo); "Amor com Amor Se Paga"(1984 - Globo); "A Gata Comeu" (1985 - Globo); "Hipertensão" (1986 - Globo); "O Sexo dos Anjos" (1989 - Globo); "Mulheres de Areia" (1993 - Globo - remake); "A Viagem" (1994 - Globo - remake); "Quem É Você?" (1996 - Globo - argumento).

2 comentários:

  1. A melhor novelista de todos os tempos é Ivani Ribeiro.

    ResponderExcluir
  2. Ivani Ribeiro é a maior novelista de todos os tempos!

    ResponderExcluir