sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Re-masterizacao da abertura da novela de Ivani Ribeiro, dirigida por Edson Braga.

Re-masterizacao da abertura da novela de Ivani Ribeiro, dirigida por Edson Braga.
I
vani Ribeiro foi a unica autora de novelas que ameacava seriamente o Ibope da Rede Globo. Em 1973, a Globo exibia Cavalo de Aco (de Walter Negrao), e essa nao fazia sucesso com o publico -- enquanto Mulheres de Areia na Tupi cativava o publico contando a historia das gemeas Ruth e Raquel (vividas com grande talento por Eva Wilma) . Janete Clair foi acionada para escrever a proxima novela das 8. para competir com o sucesso de Ivani Ribeiro. Mas o projeto inicial de Janete Clair foi proibido pela censura (era a primeira tentativa de escrever Fogo sobre Terra, que so iria ao ar em 1974), e ela teve que escrever um tapa buraco as pressas -- "O Semideus", que nao por coincidencia, tambem tratava do tema de gemeos e troca de personalidades.
Em 1977, a situacao se repetiu -- Ivani Ribeiro escrevia outro grande sucesso, "O Profeta", enquanto a Globo passava dificuldades com "Espelho Magico" (de Lauro Cesar Muniz)... Janete Clair foi novamente acionada, e criou "O Astro", que tambem nao por coincidencia tinha como tema um homem com poderes psiquicos (mas em "O Astro", o personagem de Francisco Cuoco era mesmo um charlatão).


A Rede Tupi tinha muito menos recursos que a Rede Globo, o que fica bem claro na abertura dessa novela. O texto com o nome do elenco era criado com um tecnica chamada luma key, onde se cria uma mascara sobre o video onde as letras aparecerem. Mas sem se criar uma sombra para as letras , quando o texto e' branco e a imagem de fundo tambem, fica quase que impossivel de se ler -- o que acontece na abertura original de Mulheres de Areia. Nessa "nova" abertura, usando apenas o filme e a musica, se tentou recriar o texto original, mas concertando as falhas tecnicas.

Outro fato interessante, e' que a Tupi listava parte da equipe tecnica na abertura da novela, enquanto a Globo so' o fazia nos creditos finais (nos creditos finais de Mulheres de Areia, grande parte e' ocupada com os patrocinadores da novela).
A musica de abertura era "Last Love", do grupo Phonoband.
Eva Wilma sempre maravilhosa e aqui nesta abertura ela mostra todo seu talento e beleza! Que saudades daqueles tempos...Essa corrida da Eva, as esculturas, a música... Tudo em perfeito compasso. Outra coisa impressionante foi a sova que a novela dava na Globo com Cavalo de Aço e parte de O Semideus: Sim eram 88% pontos de ibope. Mulheres de areia e o profeta foram as unicas novelas da tupi a ameacarem seriamente o horario das 8 na globo. E o credito vai para o talento que era ivany ribeiro
. A Abertura foi filmada e depois telecinada para vídeo em 1973. A filmagem da abertura assim como a gravação das cenas externas da novela foram feitas na Praia dos Pescadores (Ilha das Cabras ou Givurá ao fundo) e arredores, na Cidade de Itanhaém, Litoral Sul de São Paulo.

Laura Mattos

Supergêmeos, ativar!

"Peraí! Esse bonitão que faz os gêmeos da novela das oito da Globo tem mesmo um irmão idêntico na vida real? Às vezes, até parece que sim.

Jorge e Miguel, interpretados por Mateus Solano, 28, em ‘Viver a Vida’, vivem aparecendo nas mesmas cenas. Eles se abraçam, dão as mãos, e um já deu até uma chave de braço no outro, com o rosto dos dois mostrados pelas câmeras.

Os novos programas de computador são capazes de tantos truques que não se fazem mais gêmeos de novela como antigamente. Foi um ‘evento nacional’ o único momento em que Quinzinho e João Victor, os famosos gêmeos de Tony Ramos, 61, em ‘Baila Comigo’ (Globo, 1981), se encontraram (a cena pode ser vista no Youtube).

Manoel Carlos, 77, um dos fundadores da TV brasileira e autor de ‘Baila Comigo’ e ‘Viver a Vida’, se impressiona: ‘Hoje nada mais é impossível, a criação está totalmente livre. Escrevo as cenas dos gêmeos e nem preciso ligar para o Jayme [Monjardim, diretor de ‘Viver a Vida’] para ver se dá para gravar. Em ‘Baila Comigo’ era tão complicado mostrar os dois juntos que eles só puderam se encontrar no final’.

O autor diz não economizar em cenas com os irmãos em ‘Viver a Vida’. ‘Mas também não abuso, porque há um custo e muitas horas de trabalho nas gravações e para a equipe de computação gráfica.’

O diretor Alexandre Avancini, que já fez novelas com gêmeos na Globo e na Record, conta que um dos equipamentos modernos para as cenas em que os irmãos idênticos aparecem lado a lado e em movimento chama-se ‘motion control’.

‘É uma câmera que custa uns 600 mil, e o aluguel no Brasil varia de R$ 40 mil a R$ 50 mil por dia. É programada pelo computador e anda em um trilho para fazer o mesmo movimento ao gravar separadamente cada personagem. Assim, as imagens têm o mesmo tempo e podem ser ‘coladas’.’ A colagem, feita digitalmente, chama-se ‘wipe’.

Nas novelas mais antigas, o jeito era abusar das cenas em que um dos gêmeos aparecia de frente e o outro, um dublê com corpo e cabelo parecidos com o do ator, ficava de costas -o que hoje também é usado, mas com menor frequência.

O processo era complicado para as raras cenas em que o rosto dos dois personagens aparecia. ‘A gente gravava primeiro um personagem de um lado do cenário, depois o outro, do outro lado, cortava as fitas com gilete e colava as metades’, conta Nilton Travesso, 75, veterano diretor.

Com esse processo antigo, ele diz ter mostrado, pela primeira vez, uma pessoa ‘duplicada’ na TV brasileira. ‘Foi em 1964, no programa ‘Dia D’, da Record, em que eu trabalhava também com o Manoel Carlos.

‘Resolvemos colocar a Hebe para cantar com ela mesma. Fizemos uma primeira gravação e colocamos o vídeo para ela ver e ir complementando os trechos da música, posicionada do outro lado do cenário. Ela não conseguia entender direito o que queríamos fazer.’

Travesso lembra a ‘complicação’ de uma novela também de 1964, da Record, em que Eva Wilma, 75, fazia trigêmeas (‘Prisioneiro de um Sonho’). ‘Se as três ‘contracenavam’, precisávamos gravar umas cinco vezes. Para colar as imagens, a atriz não podia se movimentar muito para não invadir o campo da outra personagem. Seus gestos tinham de ser sutis e sempre para frente.’

A atriz tem ainda na carreira as célebres gêmeas Ruth e Raquel, da primeira versão de ‘Mulheres de Areia’ (Tupi, 1973/74), refeita na Globo, em 1993, com Glória Pires, 46.

Se, para diretores e equipe técnica, gêmeos dão trabalho, para o ator a vida também não é fácil. ‘É muito texto para decorar, muita troca de roupa e tem que mudar de personalidade em segundos. Às vezes dou uns pulos antes de entrar em cena’, conta Mateus Solano."

http://observatorio.ultimosegundo.ig.com.br

Um comentário: