segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Compacto Novela Dancin Days

A novela 'Mulheres de Areia' foi sem dúvida um dos grandes marcos na teledramaturgia brasileira. Exibida em 1973 pela Rede Tupi, e escrita pela grande novelista Ivani Ribeiro, a trama era baseada no conflito entre duas irmãs gêmeas, uma boa outra má. Cresceram separadas, e cada uma tomou um rumo diferente na vida. Ruth e Raquel foram imortalizadas pela atriz Eva Wilma que considerou este trabalho, o mais importante em sua carreira.
A novela foi um estrondoso sucesso, e a atuação de Eva era exaltada por todos que assistiram seu trabalho. A personalidade das gêmeas eram distintas, enquanto Raquel era extravagante, irônica, explosiva, um vulcão em erupção, Ruth era doce, meiga e falava pouco, um vulcão adormecido.
A atriz chegou a concorrer o Troféu Imprensa, por seu trabalho na telenovela. Acabou perdendo para Regina Duarte, que fazia uma mocinha bem água com açúcar na novela romântica da Globo, 'Carinhoso'. Regina ao receber o prêmio, esboçou uma recusa a este, e deixando claro que, na sua opinião, a atuação do ano era de sua colega Eva Wilma. Ivani, 20 anos depois, comandou o remake da novela para a Globo, tendo Glória Pires vivendo as gêmeas. A reedição da novela, teve tanto êxito como a primeira.

Na novela, Eva contracenou com seu futuro marido o ator Carlos Zara. Eles continuaram casados até a morte do ator em 2002.

Nesta cena, Marcos (Zara) e Raquel (Eva) quebram o pau. A atriz Maria Isabel de Lizandra também faz participação.Esta novela foi líder em audiência na época fez a Globo suar frio.Em 1974 Silvio Santos ainda na Globo apresentava o Troféu Imprensa e queriam dar injustamente o prêmio para Regina Duarte que concorria com a Eva Eilma. Mas ela reconheceu e recusou o prêmio dizendo que quem merecia era Eva Wilma.

Cena da novela Mulheres de Areia, escrita por Ivani Ribeiro e dirigida por Edson Braga.

O aniversario de 27 anos das gemeas. Na cena estao presentes : Eva Wilma (que interpretou magistralmente Ruth e Raquel), Carlos Zara (Marcos), Rolando Boldrin (Cesar), Cleide Yaconis (Clarita), Lucy Meirelles (Isaura), entre outros.

Ivani Ribeiro e Janete Clair foram as autoras de novelas de maior criatividade, versatilidade e sucesso dos anos 60 e 70. Ivani Ribeiro comecou na TV Excelsior, e ajudou a emissora a ser a mais poderosa TV dos anos 60 -- semelhante a Rede Globo nos anos 70 e 80. Para se ter uma ideia, quase que todos os grandes talentos que foram a marca da Globo nos anos 70 eram contratados da Excelsior: Regina Duarte, Francisco Cuoco, Gloria Menezes, Tarcisio Meira, Dina Sfat, Walter Avancini entre muitos outros. Mas suas dificuldades financeiras, e por terem se oposicionado ao golpe militar de 64, destinaram a emissora a fechar as suas portas em 1969. De um a um, o talento da emissora foi se mudando para a Rede Globo , menos um, Ivani Ribeiro, que acabou indo para a Rede Tupi (onde ja havia trabalhado esporadicamente, se revezando com a Excelsior).

Na decada de 70, quando a Globo poderia colocar estatica no ar e ganhar na audiencia, Ivani Ribeiro era a unica autora que fazia a emissora suar frio. E conseguiu ganhar na audiencia 2 vezes com as novelas "Mulheres de Areia" e "O Profeta" (1977). O que faz a questao de porque a Globo levou tanto tempo para trazer a autora para sua casa ainda maior (seria lealdade por parte da autora?). E quando a Tupi fechou, ela ainda teve uma passagem de alguns anos pela Rede Bandeirantes e Record antes de chegar na Globo. Quando finalmente a autora passou para a equipe da Globo, a emissora so' uma vez a deixou criar um roteiro original, "Final Feliz" em 1982, e o resto foram re-makes de seus sucessos passados. A autora faleceu em 1995.


A mesma questao se pode colocar em referencia a Eva Wilma, que foi a atriz de maior sucesso da Tupi e ficou com a emissora ate a sua falencia, enquanto parte do elenco ia aos poucos se mudanco para a emissora vizinha (como Antonio Fagundes, Toni Ramos, Denis Carvalho entre outros). Eva Wilma e Carlos Zara, eram o equivalente a dupla Tarcisio Meira e Gloria Menezes na Globo.

Júlia de Souza Matos é uma ex-presidiária que ganha liberdade condicional após onze anos deprisão, tentando se reaproximar da filha, Marisa de Souza Matos, tendo como principal obstáculo a irmã, Yolanda de Souza Matos Pratini, que criou a menina cercada de luxos e mimos. Yolanda, uma socialite que optou por se casar para subir na vida,sempre teve inveja da irmã, e desde que Júlia foi presa, ela faz de tudo para afastar Marisa da mãe. Queria que Marisa e a irmã trilhassem o mesmo caminho de sucesso, luxo e poder, assim como mesmo trilhou. Júlia, corajosa e determinada, tenta, sem muito sucesso, se restabelecer fora do presídio, enquanto faz das tripas coração para ser aceita pela filha, que a trata com hostilidade e indiferença. Marisa é uma adolescente detemperamento rebelde, não conhece o pai mas é dominada pela tia, que a criou. Em meio a tudo isso, Júlia acaba se envolvendo amorosamente com Cacá, um diplomata desiludido com a profissão.Ao aproximar-se da filha simulando outra identidade, Júlia luta para que Marisa, à beira de um casamento precoce, tome decisões maduras perante a vida. No dia do casamento da filha, Júlia revela ser sua mãe e tenta impedir a cerimônia, mas não obtém sucesso. Durante a recepção, acaba por agredir, completamente embriagada, Franklin, o pai do noivo de Marisa, Beto. Graças à atitude precipitada de uma convidada, Áurea, de chamar a polícia, Júlia acaba novamente presa, e condenada a mais seis meses de prisão. Ao entrar no camburão, Júlia promete vingança, considerando isso mais uma humilhação por conta da irmã e da filha.Após sair da cadeia, Júlia aceita se casar comUbirajara, um homem solitário e apaixonado por ela. Após uma viagem e um providencial banho de loja, retorna exuberante, no dia da inauguração da discoteca Dancin' Days, sob a direção de Hélio, surpreendendo a todos — principalmente a Yolanda e a Marisa —, marcando assim a virada da personagem.Após um show de sensualidade na pista de dança, Júlia dá início ao seu plano de vingança:diminuir as pessoas que a fizeram sofrer - Cacá, que, ao reencontrá-la, não teve coragem de se separar da noiva, Inês;a filha, Marisa, já desiludida com o casamento com Beto; e Yolanda, que se encontra separada de Horácio e totalmente falida. Júlia se torna uma mulher admirada por todos, assumindo a mesma postura fútil que marcava a personalidade da irmã, suplantando-a diante da sociedade.
Elenco principal
Sônia Braga - Júlia de Souza Matos
Joana Fomm - Yolanda de Souza Matos Pratini
Antônio Fagundes - Cacá (Carlos Eduardo Amaral Cardoso
Glória Pires - Marisa de Souza Matos
Reginaldo Faria - HélioJosé Lewgoy - Horácio Pratini
Lídia Brondi - Vera Lúcia
Cláudio Corrêa e Castro - Dr. Franklin Cardoso
Pepita Rodrigues - Carminha (Carmem Santos)
Milton Moraes - JofreLauro Corona - Beto
(Paulo Roberto Amaral Cardoso), Ary Fontoura - Ubirajara Martins Franco, Beatriz Segall - Celina Amaral Cardoso
Yara Amaral - Áurea Santos
Mário Lago - Alberico Santos
Sura Berditchevsky - Inês
Eduardo Tornaghi - Raul
Lourdes Mayer - Ester Santos
Mauro Mendonça - Arthur
Ivan Cândido - Aníbal
Gracinda Freire - Alzira
Cleyde Blota - EmíliaJacqueline Laurence - Solange Mira Palheta - Bibi Nascimento Leal Chica Xavier - MarleneNeuza Borges - Madalena Diana Morel - Anita Rose Addario - Selma Joyce de Oliveira - ZuleicaOrion Ximenes - BandeiraRaquel Mazza - NeuzaAbelardo de Abreu - ÁlvaroRenato Pedrosa - Everaldo Regina Viana - NeideS uzana Queiroz - LeilaCésar Augusto - China Luciano Sabino - Lulu Rejane Schumann - Luciana Osmar de Mattos - Ricardo Fernando Amaral - Cunha Selma Lopes - Jandira Jardel Mello - João Sandra Campos - Dirce Ivete Milozski - Stella Júlio Luís - Paulo César Denny Perrier - Alberto Carlos
articipações especiais
Jandira Martini - Jamile Santos Nana Caymmi - Ela mesma Gal Costa - Ela mesma Ney Latorraca - Ele mesmo Djenane Machado - Ela mesma Moacyr Deriquém - Ele mesmo Danuza Leão - Ela mesmaZezé Polessa - BerritaLucélia Santos - LoretaFlávia de Almeida - Marisa(criança)Fregolente - VeigaMurilo Nery - Conselheiro CarrazedoMaria Lúcia Dahl - Maria LúciaPauletteSandra PêraClemente ViscaínoRuth Maia - JaneteRoberto de Cleto - Psicanalista de CacáNino Gionanetti - Professor de sapateado[editar]Trilha sonora[editar]Trilha sonora nacionalJoão e Maria - Chico Buarque e Nara Leão (tema de Beto e Marisa)Amante Amado - Jorge Ben (tema de Jofre)Antes Que Aconteça - Marília Barbosa (tema de Júlia)Guria - Luiz Wagner (tema de Carminha)Dancin Days - As Frenéticas (tema de abertura)Hora De União (Samba Soul) - Lady Zu e Totó MugabeAmanhã - Guilherme Arantes (tema de Júlia)Agora é Moda - Rita LeeKitche Zona Sul- Ronaldo Resedá (tema de Beto)Solitude - Gal Costa (tema de Yolanda)Copacabana - Dick Farney (tema de Alberico)
Outra Vez - Roberto Carlos (tema de Júlia e Cacá)[editar]Trilha sonora internacionalDancin' Days Medley (Night Fever / Stayin' Alive / You Should Be Dancing / Nights On Broadway / Jive Talking / Lonely Days, Lonely Nights / If I Can't Have You / Every Night Fever) - Harmony CatsThree Times a Lady- The Commodores (tema de Carminha e Franklin)Scotch Machine - VoyageThe Wages Of Sin - Santa EsmeraldaYou Light Up My Life - Debby Boone (tema de Hélio e Verinha)The Grand Tour - Grand TourI Loved You - Freddy Cole (tema de Júlia e Cacá)Macho Man - Village PeopleFollow You, Follow Me - Genesis (tema de Inês)Gypsy Lady - Linda CliffordBlue Street - Blood, Sweat and Tears (tema de Yolanda)Rio de Janeiro - Gary CrissRivers Of Babylon - Boney MAutomatic Lover - Dee D. Jackson
Curiosidades
Para o título da novela, o autor pegou o nome emprestado da famosa boate de Nelson Motta, a 'Frenetic Dancing Days Discotèque.
Gilberto Braga havia pensando em Betty Faria para o papel de Júlia Matos, mas Betty estava prestes a estrear o programa musical Brasil Pandeiro. E para o papel de Hélio, Gilberto havia pensando no próprio diretor Daniel Filho.
Às vésperas da estréia, várias cenas tiveram de ser regravadas com Joana Fomm substituindo Norma Benguell, no papel de Yolanda Patrini. Joana acabou se tornando um dos maiores destaques da novela.
Daniel Filho dirigiu a novela até o capítulo 26, passando a ser supervisor e passando a direção para Gonzaga Blota. Mais tarde, Blota seria substituído por Denis Carvalho e outros, para trabalhar na novela sucessora, Pai Herói.Dancin Days mereceu uma reportagem na revista norte-americana Newsweek, destacando a influência que exercera sob os hábitos de consumo do público.Sônia comentou como conseguiu o papel de Júlia Mattos: "Eu fiz o teste para o papel. Eu tinha 28 anos e a Júlia começava trintona, após 11 anos na cadeia e uma filha adolescente de 15, além de ter um passado barra pesada. Por isso achei que não daria conta do recado". Sônia falou ainda da frase que insistiu para que Gilberto Braga fizesse sua personagem falar: "A porta da rua é a serventia da casa! Ponha-se daqui pra fora!". Gilberto resistiu, disse que não podia pôr a mocinha dizendo uma frase destas. Porém, um dia veio a surpresa: em uma visita de Yolanda, Júlia disse "A porta da rua é a serventia da casa! Ponha-se daqui pra fora!".Para marcar a cena da volta triunfal de Júlia, no capítulo 79, a figurinista Marília Carneiro criou uma calça jogging de cetim com listas laterais. Completando o visual, a personagem usava sandálias de tira e salto fino sobre as famosas meias de lurex, coloridíssimas,. Sônia Braga, assim, ditou moda.
Estréia em novelas de Lauro Corona e Sura Berditchevsky. Primeiro papel de destaque de Glória Pires, com excelente atuação na pele da rebelde Marisa. Lídia Brondi acabou se tornando, alguns anos depois, "a ninfeta mais cobiçada dos anos 80". Os futuros atores Eri Johnson e Cláudia Ohana participaram como figurantes na abertura. A abertura foi feita com materiais simples: fotos tiradas em um estúdio como se fosse uma discoteca. Os créditos aparecerem de forma colorida, lembrando letreiros de casas noturnas. A cena de briga entre as irmãs Yolanda e Júlia no último capítulo, ficaram inesquecíveis na mente do telespectador.
  • Dancin’ Days, um marco histórico na televisão e nos hábitos dos brasileiros.

    dancing-days-05gUm divisor de águas na TV, a novela Dancin’ Days tinha média de audiência de 80 pontos no IBOPE e foi a pioneira em lançamento de moda em massa e também no uso intensivo de merchandising, numa época em que o marketing ainda engatinhava.

    Está lá na revista Veja de janeiro de 1979: “a novela (Dancin’ Days) está influenciando decisivamente o comportamento e mitologia pessoal das classes A, B e C”. Nessa reportagem conta que no auge da novela uma socialitecarioca construiu uma réplica da discoteca na sua casa e deu uma festa “uma noite na novela Dancin’ Days”, onde até o figurino tem a relação com cada capítulo da trama. Coisa do passado? Claro que não, de lá para cá as produções se sofisticaram e as novelas globais viraram grandes vitrines de moda e comportamento, com pesquisas sérias na composição de personagens e figurinos. Bem, como essa novela não é do nosso tempo a gente descolou um compacto desse folhetim dividido em 3 partes, calce suas meias de luréx e divirta-se:


Um comentário: